Principal

Sentimentos confusos sobre a gravidez são normais

Julgamos que a mulher se sinta excessivamente alegre sempre que descobre que vai ser mãe, que ela passe toda a gravidez pensando no futuro bebê, e que, quando chegar, a fará desempenhar o papel de mãe com facilidade e prazer. Isto é verdade até certo ponto. Pra ser sincera, mais em alguns casos que em outros.

Estudos médicos esclarecem (o que as mulheres inteligentes já sabiam), que há sentimentos negativos NORMAIS, relacionados, também, com a gravidez. Especialmente com a primeira.

Até certo ponto, a primeira gravidez significa o fim da juventude despreocupada. A aparência de liberdade apaga-se aos poucos e com isso se perde o encanto vivaz. Ambas as transformações são temporárias, porém, reais. A mulher começa a compreender que, logo a criança nasça, haverá SIM restrições na vida social. Não haverá mais passeios a todo momento, indo aonde bem queira e voltando a qualquer hora da noite. O orçamento terá que ser dividido, e a atenção do marido, terá que se dividir.

CONFIE EM SI MESMA!

O amor à criança vem gradativamente. Algumas mulheres acham difícil dedicar amor a criança que nunca viram. Mesmo estando alegres e orgulhosas por estarem grávidas.

Mas então, tudo muda quando de fato o bebê começa a se mexer. Com o progresso da gravidez, seus pensamentos para com o bebê tornam-se mais realistas, levando-a a dedicar-lhe seus cuidados.

É possível que você se sinta desanimada durante algum tempo, quando começar a cuidar do bebê. É um sentimento NORMAL. Especialmente com o primeiro filho. Talvez você não seja capaz de descobrir o que está errado. Talvez se sinta mal a respeito de certas coisas. E até chore com muita facilidade.

Alguns dias após o nascimento do bebê, um sentimento de depressão pode surgir, ou algumas semanas depois. É a sensação de assumir outra vez a responsabilidade por todo o cuidado da casael e, também, a responsabilidade nova, que é cuidar da saúde e segurança do bebê. De um modo repentino toma todo o encargo dos cuidados do bebê e da casa.

A razão pela qual menciono isso, é que passei por por isso nos meus três pós partos. E hoje afirmo, É NORMAL. É TEMPORÁRIO. VAI PASSAR.

Quando se sentir abatida, especialmente nos primeiros dois, três meses, tente aliviar-se dos cuidados constantes dispensados à criança. Peça ajuda à vovó ou um parente próximo… vá ao cabeleireiro, à manicure. Visite uma amiga, mesmo que você tenha que levar o bebê. Vai ser difícil, mas tente sempre fazer algo para se sentir melhor. Isso é importante para o bebê, para seu marido e também para você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *