Principal

Parto normal ou cesariana?

Eis a questão!

Como eu já escrevi anteriormente, sou mãe de 3 das crianças mais lindas do mundo. Logo, passei pelos dois tipos de partos.

Minha primeira gravidez, foi muito cedo. Eu conheci meu namorado ( hoje marido), com 14 anos e aos 16 eu estava dando a luz. Como toda maternidade pública (SUS), tem o método de parto normal, indo na contramão do alto índice de partos cesáreas, meu primeiro parto foi normal. Não foi fácil e não foi rápido. Foram mais de 24 horas de trabalho de parto. Foi bem duro e doloroso.

Alinhada às recomendações da Organização Mundial da Saúde, além de um chuveiro com água morna para aliviar as dores no pré-parto, as grávidas também tem acesso a bolas suíças (aquelas bolas utilizadas em academia) para relaxar, e vários tipos de cadeiras de parir.

Foram horas e horas disso tudo! Como isso aqui é feito com muito carinho de mãe pra mãe, eu não vou mentir. Doeu e doeu muito! Eu tive um parto normal, sem anestesia, sem nenhum procedimento cirúrgico. Doeu!

Mas então, minha filha nasceu e toda aquela dor horrível, horrorosa SUMIU! Feito mágica, eu não sentia mais dor. Sentia alívio, felicidade, alegria, orgulho, amor. Muito amor!

Depois disso passei 8 anos abominando o parto normal. Até que eu fique grávida pela segunda vez!

Quando descobri a gravidez, não tinha dúvidas sobre o tipo de parto. Teria que ser normal! E foi. Foi normal, sem anestesia e sem nenhum procedimento cirúrgico. Tudo durou 5 horas, até a minha segunda filha nascer. E eu não podia acreditar que tinha conseguido passar por tudo aquilo de novo!

Então 1 ano e 6 meses depois, fui surpreendida pela a terceira gravidez!

Desde o começo eu já havia alertado o meu médico sobre a minha vontade de tentar o parto normal, mais uma vez. E que, se porventura não fosse parto normal, que eu gostaria de esperar pelo sinal do bebê e não simplesmente “agendar” uma data para o nascimento. E assim foi. Cheguei na maternidade desejando o parto normal, mas recorri ao parto cesárea quando descobri no pré-parto que o bebê não estava encaixado. Com medo de machuca-lo eu optei por nem tentar o parto normal.

Foi fácil e não tive dor nenhuma, além da anestesia, claro!

Sobre a recuperação de ambos os partos: Normal: recuperação fácil e indolor. Fiz tudo sozinha, normal . Com 10 dias eu já fazia supermercado.

Cesárea: muita dor assim que sai do hospital. Dor essa que durou cerca de uma semana. Tinha dificuldade para me levantar, me movimentar e para cuidar sozinha dos meus filhos. Eu chorava o tempo todo de dor.

Ou seja, somente se necessário, eu passaria por isso de novo. Não faria e não indicaria.

Além do parto normal ser o desfecho natural de uma gravidez é também responsável pela boa respiração do bebê, a aceleração da descida do leite, a recuperação rápida da mãe e a segurança. A cesariana, como em qualquer cirurgia, envolve riscos de infecção e até de morte de criança. ” Cerca de 12% de bebês que nascem de cesariana, vão para a UTI. No parto normal, esse número cai para 3% ” Renato Kalil, obstetra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *